05/04/2017

Ministério da Integração Nacional
Assessoria de Comunicação Social

 

Governo federal disponibiliza mais de R$ 10 bilhões para empreendedores no Centro-Oeste

Objetivo é impulsionar a economia e o desenvolvimento regional, com a geração de emprego e renda em diversos setores

Brasília-DF, 4/4/2017 - Os empreendedores do Centro-Oeste contam, neste ano, com mais de R$ 10,1 bilhões para investimentos por meio do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO), administrado pelo Ministério da Integração Nacional. Os recursos são destinados a diversos setores da economia e contribuem para a geração de emprego e renda no Distrito Federal e nos estados de Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

O montante disponibilizado pelo governo federal está dividido da seguinte forma:

·       R$ 1,93 bilhão (19%) para o Distrito Federal;

·       R$ 2,94 bilhões (29%) para Goiás;

·       R$ 2,94 bilhões (29%) para o Mato Grosso e

·       R$ 2,33 bilhões (23%) para o Mato Grosso do Sul.

Os financiamentos beneficiam desde o pequeno produtor rural, por meio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), a associações, cooperativas de produção e investidores de pequeno, médio e grande portes.

Nesta terça-feira (4), em Brasília, durante o lançamento da Caravana do FCO, o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, destacou a importância do Fundo para impulsionar a economia brasileira. “Esse reaquecimento acontecerá se formos capazes de atingir todas as esferas da economia nacional, fazendo a oportunidade chegar aos empreendedores. E isso só se dará se formos capazes do diálogo, da construção do ambiente seguro e atrativo, que permita a adesão desses clientes”, disse.

O Banco do Brasil é agente oficial de fomento do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste, criado em 1989. Ao todo, aproximadamente um milhão de operações foram contratadas pelo banco, com capacidade de criar mais de seis milhões de empregos.

“Nós já investimos mais de R$ 62 bilhões no Centro-Oeste. Esse modelo se mostra vitorioso. [Neste ano], desde o dia em que nós começamos a analisar operações, estamos fazendo um volume três vezes maior do que foi no ano passado. O FCO vem se direcionando a empreendedores para aumentar a produção do Centro-Oeste, reduzir as condições de desigualdades do nosso país e também trazer o produtor rural”, afirmou o presidente do Banco do Brasil, Paulo Rogério Caffarelli.

Caravana FCO

Com o intuito de divulgar oportunidades de financiamento a empreendedores, a Caravana deste ano, promovida pelo Banco do Brasil, passará por 20 cidades do Centro-Oeste, levando informações sobre empreendedorismo e inovação, cenário econômico e balcão de negócios. O Banco, parceiro do Ministério da Integração Nacional na iniciativa, analisa as demandas e concede os recursos aos clientes.

Na prática

Os irmãos catarinenses e produtores rurais Claodir e Juarez Baroni, que vivem em Alexânia (GO), destacam como o financiamento do FCO fez a diferença no dia a dia de produção. “Melhorou muito para nós depois que conseguimos o crédito. Estamos conseguindo armazenar nosso produto e vender na hora certa. A gente plantava em torno de 2 mil hectares. Hoje, são mais de 3,6 mil hectares”, completou Juarez.

Já o proprietário do restaurante Potiguar Caldos, em Brasília (DF), Flávio Alves, comentou como conseguiu expandir o seu comércio. “Conhecemos o FCO por meio de um gerente que foi até a nossa empresa oferecendo a linha de crédito. Do total de 13 restaurantes que temos hoje, oito projetos foram com recursos do FCO. Temos 430 funcionários e temos dois novos projetos para este ano”, detalhou.

IMG